Basic info

Língua: 
Português
Público alvo: 
Alunos do Fundamental 1 (6-10 anos)
Alunos do Fundamental 2 (11-14 anos)
Alunos do Ensino Médio (15-18 anos)
Tipo de projeto ou atividade: 
Atividade curricular
Atividade de formação de educadores
Descrição: 
O projeto de robótica livre criativa nasceu da vontade de fazer a diferença e oportunizar aos alunos uma reflexão crítica sobre a questão de materiais descartados que são recicláveis ao mesmo tempo em que oportuniza a transformação social através da aprendizagem criativa, resolução de problemas ao permitir que a tecnologia seja um propulsor a aprendizagem ao permitir mão na massa para transformar a realidade dos alunos com a robótica. Através de materiais reciclados os alunos irão criar protótipos com funcionalidades especificas, associando materiais recicláveis com materiais de sucata com eletrônicos, onde através da imaginação e da inventividade os alunos poderão criar robôs, carinhos eletrônicos, aranha robótica, mão robótica entre outros. O despertar para aprendizagem criativa proporciona aos alunos a busca de autonomia e do protagonismo, dentro deste processo o professor é apenas mediador da criatividade e da inventividade dos alunos que de forma lúdica e significativa desenvolve habilidades e competências como o raciocínio lógico ao ampliar e testar conhecimentos de áreas do conhecimento como língua portuguesa, matemática, ciências, física entre outras de forma prática e real.

Aspectos Educacionais

Produtos: 

Que os alunos desenvolvam prótipos sendo capaz de testar conhecimentos adquiridos em areas do conhecimento como língua portuguesa, matemática, ciências entre outras em forma de experimentação e com mão na massa.

Conteúdo Curricular: 

Língua Portguesa

Ciências

Matemática

Física

Geografia

História

Habilidades e atitudes: 

Senso critico

Autonomia

Protagonismo juvenil

Reflexão

Inventividade

Criatividade

Significado pessoal: 

Transformação social.

Colaboração e compartilhamento: 

Feiras internas e externas

Oficinas para alunos e educadores

Participação de eventos internos e externos

Exploração livre: 

O projeto é baseado no protagonismo juvenil, investigação, inventividade e liberdade de criação.

Reflexão: 

Através do Protagonimo juvenil e no movimento criado nas aulas para o despertar para a criatividade.

Documentação: 

Fichas de investigação para avaliação e documentar o processo do projeto.

Aspectos Logísticos

Implementação: 

Investigação;

Pesquisas e rodas de Conversa;

Participação de feiras internas como a Jam de Robótica, FIC, oficina de alunos e oficina para educadores;

Participação como palestrante no Seminário Amplifica BH;

Participação como palestrante na Latinoware (conferência de Latinoamerica de Software livre).

 

Ferramentas e materiais: 

Tampinhas de garrafa, rolinho de papel higiênico, canudos, bexigas, fita crepe, palito de churrasco, madeira, barbante, caixa de papelão, isopor, lanterna, secador de cabelo, fio, pilha, bateria 9V, garrafa pet,  peças dos computadores, como ventoinha, motor do CD, luzes de led (led do mouse), kit de robótica, entre outros.

Avaliação

Conteúdo curricular (grandes ideias, conceitos, tópicos curriculares, etc.): 

O projeto teve vários marcos, entre os principais podemos destacar: a conquista do Kit de Robótica, exposição dos trabalhos na Bienal do Ibirapuera, palestra dando visbilidade ao trabalho e mobilizando as pessoas  através das aprendizagens criativas e nova exposição itinerante no Céu Alvarenga

 

Ao longo do desenvolvimento do Projeto Robótica com Sucata criativa foi possível observar vários outros resultados obtidos, entre os quais enumero:

 

Aumento do repertório de leitura e escrita dos alunos;

Diversidade das capacidades de leitura e interpretação e compreensão textual;

Aprimoramento da competência discursiva;

Desenvoltura da capacidades midiáticas e tecnológicas;

Ampliação de resoluções de problemas;

Desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à matemática, ciências, língua portuguesa, história.

Envolvimento e participação ativa dos alunos com sua própria aprendizagem;

Integração escola e comunidade;

Mudança de concepção em frente a problemas sociais, aumento do léxico dos alunos e maior exposição a oralidade, leitura e escrita.

Ampliação dos conhecimentos dos alunos por tecnologias;

Obtenção de premiações locais.

Aumento e desenvoltura da oralidade;

Mobilização dos alunos em torno de um tema atual e de grande importância para o exercício de sua cidadania;

Produção de diferentes trabalhos autorais dentro de situações reais e formais de aprendizagem;

Aumento do protagonismo juvenil.

Habilidades e atitudes (trabalho em equipe, comunicação, inovação, auto-imagem, empatia, …): 

O Trabalho permitiu o desenvolvimento do trabalho em equipe, colaboração, inovação, inventividade e principalmente o interesse pela aprendizagem.

Desenvolvimento da Proposta

Estado da Proposta: 
Proposal already tested
Desenvolvimento da proposta: 
Proporcionar aos discentes um aprendizado significativo, a partir de resoluções de problemas dando possibilidade a criação com objetos que seriam descartados, vivenciando a Robótica como uma propulsora ao processo de ensino aprendizagem, por promover autonomia e protagonismo. Introduzir o conceito de robótica, elaborando construções robóticas, de maneira a realizar experimento, levantando e testando hipóteses, aguçando a curiosidade, trabalhando a questão de resolução de problemas, alavancando a criatividade e oportunizando uma vivência criativa e protagonista. Estimular a criatividade e a capacidade de resolução de problemas, reconhecendo a importância do trabalho em equipe. Pesquisar sobre a robótica livre e o uso de material de sucata, como fonte de reutilização para este trabalho, incentivando a criarem e explorarem com os recursos disponíveis. Utilizar as diferentes linguagens, explorando as diferentes áreas do conhecimento, como matemática, física, ciências entre outras. Ampliar o conhecimento dos alunos, permitindo que os mesmos sejam protagonistas de seus próprios projetos.
Sugestões para replicação e remixagem: 

Para construir um protótipo é importante que os alunos conheçam os tipos de materiais que irão ser utilizados para realizar a tarefa necessária para o movimento que será realizado pelo protótipo.

  • Pesquisa na Internet sobre robótica livre;
  • Projetos similares ao realizado na escola;
  • Recolhimento de materiais de sucatas pela comunidade escolar;
  • Roda de conversa sobre formas geométricas e suas finalidades;
  • Rodas de conversa sobre a força do ar e da massa, exemplos destas forças com noções de física;
  • Oficina de robótica.

Após termos trabalhados os conceitos de robótica e construído o carrinho movido a balão de ar, é hora dos alunos confeccionarem os seus próprios projetos. Os experimentos robóticos estão acessíveis a todas as pessoas, e podemos executá-los com sucatas, elaborando construções interessantes e funcionais, como carrinhos, foguetes, submarinos, dentre outros.

Neste trabalho o nome da robótica vai além de programar robôs, pois, favorecem oportunidades de autoria e protagonismo ao despertar nos alunos o desenvolvimento de habilidades e competências ligadas as áreas de matemática, física, ciências, além de estimular a criatividade e a autonomia.

 

 

ETAPAS DO TRABALHO

A primeira etapa do trabalho consistiu em estimular e aguçar a criatividade dos alunos, dando a noção do era a Robótica com sucata. Para isso foi realizada inicialmente algumas leituras e realizadas pesquisas para esclarecimento do assunto. Também nesta etapa fomos pesquisar realizando algumas anotações e tendo contato com vídeos com construção com sucata.

Desta sequência levei uma bexiga a sala de aula e provoquei alguns questionamentos como por exemplo o que ocorre quando enchemos a bexiga, eles pensavam até chegar na resposta o ar fica preso, e se soltar o que ocorre, a força do ar impulsiona a bexiga para longe.

E baseado na nesta experiência, apresentei alguns materiais como tampinhas, palito de  churrasco, canudo, elástico, bexiga e rolinho de papel  e novamente indaguei a eles o que era possível construir, provocando chegarem no carrinho. Foram trabalhados conceitos de força e de ar, além de formas geométricas, eixos.

Inicialmente esta atividade era para ser realizada somente com as séries iniciais, mas a propaganda dos próprios alunos e os recursos trazidos por eles principalmente rolinho de papel higiênico e tampinhas proporcionou uma experimentação significativa para todos, aumentando os desafios para cada série. O interessante desta atividade foi ver que nenhum carrinho ficou igual.

Os pequenos imediatamente foram para o chão testar os carrinhos e os maiores levantaram a questão ambiental de reaproveitamento de materiais e estando aguçados a criarem mais.

2º etapa

Esta etapa iniciou com desafio, de aguçar eles a serem protagonistas. Oportunizando momentos que eles escolhessem o que queria produzir e com pesquisas realizadas, o ciclo de alfabetização e interdisciplinar produziram a mão robótica com canudos e barbante, reproduzindo articulações humanas, já o ciclo autoral realizaram o circuito elétrico e mesa de hóquei movida a secador de cabelo.

E nesta etapa houve o desafio da Secretaria Municipal de São Paulo a JAM de Robótica, que consistiu em um vídeo para a escola ser escolhida a participar de uma vivência de robótica e ganhar um kit e em paralelo tivemos os trabalhos da escola escolhido para ser apresentado como mostra de trabalhos, onde os próprios alunos ficaram explicando as pessoas que acessavam os trabalhos.

3º etapa

Nesta etapa e em parceria com a professora de Ciências Thioni criamos a primeira Feira de Ciências e Tecnologias.

A Feira de ciências e tecnologias consistiu em um momento autoral, baseado na investigação a partir de uma motivação ou de uma questão problema.  Durante o processo de aprendizagem desenvolveu e aprimorou a convivência e a construção coletiva.
Os alunos foram desafiado a encontrar respostas e isto não significa provar conceitos ou mostrar o funcionamento de materiais buscando pela praticidade e reutilização de materiais através de experimentos, suas implicações e explicações científicas de modo a aproximar a ciência e a tecnologia fazendo uma ponte entre ela e o conhecimento popular, dando sentido, de cunho científico, ao senso comum. Desta maneira contribuindo para a alfabetização científica.

Além de conceitos e pesquisas voltadas a Robótica Livre, onde os alunos puderam conhecer e explorar recursos de sucata para transformá-los em objetos com funcionalidade especifica, permitindo uma ampla criação e protagonismo com estes materiais. Neste sentido o nome robótica foi além programar robôs, pois, favoreceu oportunidades de autoria ao despertar nos alunos o desenvolvimento de habilidades e competências ligadas as diferentes áreas do conhecimento.

Os estudantes se organizaram em grupos e escolheram o que gostariam de investigar. Foi elaborada uma ficha de acompanhamento, planejamento e avaliação de cada etapa do projeto, incluindo as ideias iniciais, suas hipóteses, objetivos e as justificativas do porque investigar e apresentar o tema levantado pelo grupo. Durante três meses os estudantes se reuniram na escola e fora dela para executar seus projetos e a apresentação e avaliação. Foi realizada uma visitação à feira pelos alunos de 5, 6, 8 e 9° anos e uma votação e premiação dos 3 projetos mais votados. Os alunos receberão prêmios e certificados de honra ao mérito, destaque e participação pelo desempenho, buscando valorizar e incentivar os trabalhos apresentados.

4º etapa

O kit de robótica conquistado através da Jam permite a experimentação apenas de 5 alunos, neste sentido para oferecer o aprendizado a todos e todas, foi necessário continuar a desenvolver o trabalho com sucata, claro também oportunizando momentos com o kit.

E neste sentido em ano, foi trabalhado com os alunos noções de elétrica, circuito aberto, circuito fechado para que eles pudessem ampliar os conhecimentos adquiridos e neste sentido novamente os alunos mostraram o seu protagonismo, ao iniciar a realizar trabalhos fora a escola, trazendo apenas para dúvidas no dia seguinte.

E neste sentido construíram um avião que fez muito sucesso entre os colegas, motivando outros alunos e assim nasceu robôs, barcos, submarino, outros aviões e este com funcionamento olhos através de led, de hélice e força de motor, todos os materiais recicláveis e muitos adquiridos no ferro velho.

Neste momento o meu papel se tornou de mediadora, orientando esses alunos para melhoria dos trabalhos realizados e como ocorreu na primeira vez, os alunos muito entusiasmados na construção destes protótipos atraiu mais alunos e muitos destes alunos são conhecidos como os mais indisciplinados que despertaram através de uma aprendizagem significativa.

E  para continuar estimular estes alunos muitos destes trabalhos ficou expostos na sala de Informática e a convite de DRESA (Diretoria Regional de Ensino de Santo Amaro) fui convidada a palestrar sobre protagonismo juvenil através das aprendizagens criativas tendo oportunidade de conversar e expor este trabalho.

Também a convite os trabalhos realizados dos alunos estão expostos no Ceú Alvarenga e aberto ao público.

Isso deu um novo estimulo aos alunos onde foi necessário abrir um espaço em projeto para poder orientar esses alunos.

Nesta etapa também foi contemplado os ciclo de alfabetização para que desde de pequenos possam ter contato com as aprendizagens criativas, tanto meninas e meninos sejam capazes de construir. Nesta etapa foi realizado com os pequenos um avião com canudos, papel cartão e cola quente, trabalhamos as formas geométricas e aerodinâmica de forma natural.

Justificativa da proposta: 

Leciono em uma comunidade muito carente, as margens de um córrego e com um problema muito sério ao entorno, o lixo jogado neste córrego e exposto em toda a comunidade, um problema sério, onde ocasiona danos ao meio ambiente e a população da Vila Babilônia que sofre com sérios alagamentos.

O projeto de robótica livre criativa nasceu da vontade de fazer a diferença e oportunizar aos alunos uma reflexão crítica sobre a questão do lixo ao mesmo tempo em que uma oportunidade de transformação social através da aprendizagem criativa, resolução de problemas ao permitir que a tecnologia seja um propulsor a aprendizagem ao permitir mão na massa para transformar a realidade dos alunos com a robótica.

Sensibilizar os alunos sobre a questão ambiental e que eles poderiam mudar esta realidade foi o primeiro passo.

Realizamos algumas aulas externas, com uma máquina fotográfica em mãos fotografamos e recolhemos materiais reciclados onde levamos estes materiais para a escola.

Conversamos com moradores da comunidade também conscientizando sobre a questão de descartar o lixo em lugar inadequado e também solicitamos auxilio a Subprefeitura para cuidar e zelar pelas áreas públicas.

Inicialmente foi aguçada a curiosidade dos discentes na construção de um carrinho movido a balão de ar, onde foi proposta alguns questionamentos até eles conseguirem  construir o carrinho. Inicialmente a proposta era realizar esta atividade com os alunos das séries iniciais, mas devido o interesse pela atividade a mesma foi utilizados em todas as series da escola (onde leciono do 1º ao 9º ano), aumentando somente a complexidade dos desafios.

A partir deste trabalho inicial houve um movimento pelos próprios alunos e interesse pelas aulas em construir outros projetos, desenvolvendo autonomia e protagonismo. Na sequência criaram um circuito elétrico e uma mesa de hóquei, além de uma mecânica com canudos, capaz de pegar papeis onde trabalhamos a questão da articulação.

Os trabalhos realizados na escola renderam a participação do desafio de Robótica, conhecida como Jam de Robótica (vivência) e também convidados a expor os seus trabalhos na Bienal do Ibirapuera.

Com o recebimento do nosso primeiro kit de Robótica, este trabalho se intensificou, porém não abandonamos a Robótica, onde a cada dia os alunos se superaram no protagonismo indo recolher no ferro velho materiais para construção de seus objetos, onde este ano realizaram robô, avião, barco e estes trabalhos estão expostos no Ceu Alvarenga.

Este trabalho resgatou a autoestima dos alunos, sendo capaz de despertar nos alunos mais indisciplinados da escola a vontade de construir.